Leia Para Seu Futuro Bebê Bilíngue

Quando minha mãe estava grávida de mim, a primeira coisa que ela fez foi comprar livros infantis para me ler. Todo mundo achou que ela era louca. Um bebê precisa de berço, roupinhas, mamadeira, quem sabe até de brinquedinhos, mas não de livros, diziam.

Hoje em dia, pais ainda se perguntam se há alguma utilidade em ler para um bebê que provavelmente não entende a histórinha. Porém, médicos e fonoaudiólogos recomendam – e muito – a leitura para bebês desde o nascimento. A leitura em voz alta estimula o desenvolvimento da linguagem no bebê. O que importa não é o conteúdo, mas a interação entre o adulto e o bebê e a modulação da voz e usos de sons expressivos que ajudam no desenvolvimento emocional da criança.

Introdução à língua de herança

A leitura em voz alta pelos pais é importante para todos os bebês, mas ela se torna ainda mais recomendável quando se está tentando criar uma criança bilíngue. A leitura de livros infantis pode introduzir cores, números, formas e um rico vocabulário na língua materna. É claro que conversar com o bebê durante todo o dia é o mais importante para que ele comece a aprender a língua de herança, mas livros ajudam os pais a usarem um vocabulário variado e com expressões que nem sempre o bebê ouviria no dia-a-dia. Se você ler histórias na língua materna para seu bebê todas as noites, no final do primeiro ano ele já estará familiarizado com todos os sons necessários para começar a falar a língua de herança.

Dicas de leitura para bebês

  • Leia com expressão e entonação para mostrar o significado das palavras
  • Escolha livros com ilustrações grandes e coloridas
  • Quando seu bebê tiver destreza motora, deixe-o virar a página. Ele vai adorar e vai se envolver mais!

Fim do artigo. Deixe seu comentário abaixo.

***

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Silvia is a Brazilian journalist, teacher, and mom. She grew up in Canada as a bilingual child, speaking only Portuguese at home and English everywhere else. Throughout her adult life, she has lived, studied and worked in both Brazil and Canada. Silvia thinks that bilingualism has opened so many doors for her and she wants the same for her children.

“I’m American and Brazilian too!”

I’m American and Brazilian too!

That’s the answer my 6-year-old daughter gives anyone who questions her nationality. It may sound strange to some, but it is perfectly normal to her and to me.

My husband is American and he doesn’t speak Portuguese. We live in New Jersey, USA, where our daughters were born. Juliana (5) and Marina (2) are bilingual. They speak Portuguese and English perfectly for their age. With their aunts, Brazilian grandparents, the nanny, and myself, they speak only in Portuguese and rarely mix in any English. With their father, his family, and other American children they speak English.

I chose to raise my children bilingual from birth for two reasons:

1. Bilingualism will give them a lifetime advantage.

  • They will be able to (and already can) communicate with more people, including their Brazilian family.
  • They will have greater interest and ability to learn other languages.
  • Being fluent in Portuguese will help them be admitted to good colleges in the United States, Brazil, or other countries.
  • They will have more job opportunities in the United States and abroad.
  • They will adapt more easily if they choose or need to live in Brazil or another Portuguese speaking country.
  • They will be able to see and understand the world with a different perspective: one that is more open and inclusive (this is already true).

2. Portuguese is an inheritance they have a right to call their own.

When I received Juliana’s Brazilian passport at the Brazilian Consulate in New York and read, “Nationality: Brazilian,” my eyes filled with tears. I still get emotional when I remember that moment. Juliana, my first daughter, was only a few months old at the time. I thought to myself:

My daughter was born here in the United States, she is American, but she is Brazilian too! Since I am Brazilian, she was born with the right to be Brazilian. It is my duty as a mother to teach her the Portuguese language, so that she may not only know but also understand Brazilian culture and the social problems of Brazil. As a result, she will be able to exercise her right to Brazilian citizenship in any way she sees fit.

If I fail to teach Portuguese to my daughters, I will be taking away something that is rightfully theirs without asking for permission. I want my daughters to grow up proud to be American and Brazilian too! That is their identity. I want them to know where they come from so that throughout their lives it can be easier to choose where they want to go and which path to follow.

Portuguese as a heritage language and the opportunity to raise bilingual children

Portuguese is my native language and I am proudly fluent in it, as I am fluent in English, my second language. Despite speaking English every day at work, with my husband at home, and with everyone around me, I don’t allow that to influence my communication in Portuguese with my daughters.

I have spoken only Portuguese with my daughters since they were born, and that’s why they have learned their heritage language. It is a cultural and linguistic inheritance. It is a legacy that will always be part of their nationality and identity.

Many times, parents miss out on the opportunity to teach our children our native language while they are still young and able to easily learn the language.

Babies and children learn two or more languages at the same time naturally. They intuitively learn to switch from one language to another depending on the situation or the person with whom they are speaking. When it comes to learning a second language, we know that the best results come from early exposure. However, I also believe in the saying that it is “better late than never.”

If you are a Brazilian parent living abroad and want your children to grow up bilingual, choose to speak in Portuguese to them as much as you can. Educate yourself and get used to speaking to your children primarily in your native language, just as you would do it to a relative in Brazil. Read books and watch cartoons and children’s TV shows in Portuguese in order to encourage language development and to maintain your children’s bilingualism.

Daily exposure to different languages and cultures teaches children to be inclusive and to become adults with a better understanding of multiculturalism. Growing up bilingual is a special gift that I can give to my daughters and that you can give your children as well.End of artigo. Leave your comments below.

***

Books for babies and toddlers learning Portuguese. Click below to see more!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Born in Brazil, Ana Cristina moved to the United States in 1999. Following the birth of her first daughter in 2011, she realized how important it was that she pass on her native language and culture to her children. As a result, she decided to create her own line of books and founded ABC Multicultural (former Little Gringo) in 2013.

5 Dicas Essenciais Para Manter o Bilinguismo Dos Filhos

Ensinar línguas a crianças pequenas é fácil: elas realmente são como esponjas. O problema vem na hora de manter o uso da linguagem. Muitos pais começam a aventura do ensino bilingue a todo vapor, empolgados com a idéia de filhos poliglotas, porém desanimam quando a prole começa a se recusar a falar a língua ensinada. Então, como fazer para que seu filho não apenas aprenda duas línguas, mas também continue falando-as por toda a vida? Aqui vão algumas dicas:

1) Escolha um método e seja consistente.

Converse com seu parceiro ou parceira e decida qual será a melhor maneira de introduzir duas línguas aos seus filhos. Vocês dois irão falar a língua de herança em casa o tempo todo? Cada um vai falar com o filho em uma língua? Não importa o método escolhido, o mais importante é ser consistente. Seja firme com o uso da língua de herança. Seu filho vai preferir usar a língua majoritária do país – isso é natural. É sua responsabilidade insistir no uso da língua que você quer ensinar.

2) Não misture línguas.

Quando a gente está morando fora, é fácil esquecer palavras e começar a misturar a língua do país onde moramos com a nossa língua materna. Porém, para que seu filho aprenda a falar bem a língua de herança é preciso que você dê o bom exemplo e fale da maneira mais correta possível: sem estrangeirismos. Se você não se esforçar para achar as palavras certas na língua que está ensinando, que incentivo seu filho terá para fazer o mesmo?
Mesmo que seu filho fale com você na língua majoritária do país onde você mora, responda sempre na
língua de herança.

3) Exponha seus filhos a língua de herança diariamente.

Uma criança precisa ser exposta a uma língua por pelo menos 30% do tempo para aprender a falar bem. Isso é o mínimo, porém é recomendável também enriquecer o vocabulário do seu filho investindo em livros, CDs, e DVDs. É importante também expor a criança a outras pessoas que falem a língua de herança. Por isso, organize conversas pelo Skype com os avós e procure programas culturais na língua que você está ensinando.

4) Ignore o palpite mal-informado dos outros.

Bilinguismo não causa atraso na fala e nem dificuldades na escola. Infelizmente, ainda há muita falta de informação sobre crianças que crescem aprendendo duas línguas e até profissionais, como medicos, professores e fonoaudiólogos, às vezes tentam convencer os pais de falarem apenas uma língua com os filhos. Este conselho não poderia ser mais sem fundamento. O bilinguismo não apenas não atrapalha o aprendizado, como também dá à criança várias vantagens cognitivas para toda a vida.

5) Promova as vantagens do bilinguismo.

Ajude o seu filho a entender o quanto é importante falar mais de uma língua. Se ele já tiver idade para entender, converse com ele sobre empregos que exigem o conhecimento de várias línguas e fale de pessoas bemsucedidas que são bilingues ou poliglotas. Mantenha também laços fortes com a família que fale a sua língua materna. Brincadeiras com tios, avós e primos são uma ótima maneira de manter a língua de herança relevante para os pequenos.Fim do artigo. Deixe seu comentário abaixo.

***

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Silvia is a Brazilian journalist, teacher, and mom. She grew up in Canada as a bilingual child, speaking only Portuguese at home and English everywhere else. Throughout her adult life, she has lived, studied and worked in both Brazil and Canada. Silvia thinks that bilingualism has opened so many doors for her and she wants the same for her children.

Read to Your Future Bilingual Baby

Read to your baby

When my mom was pregnant with me, the first thing she did was buy children’s books to read to me. Everyone thought she was crazy. Babies need a crib, clothes, bottles, maybe even some toys, but not books, people would say.

Nowadays, parents still ask themselves whether reading to a baby, who probably doesn’t understand the story being read, makes any sense. Well, actually doctors and speech-language pathologists do highly recommend reading to babies from birth. Stories read out loud stimulate language development in the baby. The content of the story itself doesn’t matter as much as the interaction between the baby and an adult, the use of different tones of voice and the use of expression, all of which can help in the in the child’s emotional development.

Introduction to the mother tongue

Reading stories out loud helps all babies, but it is especially useful when trying to raise a bilingual child. Children’s books can introduce colors, numbers, shapes and a rich vocabulary in the language you are intending to teach. Of course, speaking to the baby throughout the day is the most important thing to do in order to pass down your native language, but books help parents to a use a more varied vocabulary with expressions the baby might not usually hear in day-to-day conversation. If you read stories in your mother tongue to your baby every night, by the end of the first year your child will be familiar with all of the sounds he or she needs to know in order to start speaking the language.

Tips for reading to your baby

  • Read with expression and use different intonations to show the meaning of words
  • Choose books with large, colorful illustrations
  • Let your baby turn the page if his motor skills allow. He will love it and feel more involved.

End of artigo. Leave your comments below.

***

Books for babies and toddlers learning Portuguese. Click below to see more!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Silvia is a Brazilian journalist, teacher, and mom. She grew up in Canada as a bilingual child, speaking only Portuguese at home and English everywhere else. Throughout her adult life, she has lived, studied and worked in both Brazil and Canada. Silvia thinks that bilingualism has opened so many doors for her and she wants the same for her children.

50 Dicas para Criar Filhos Bilingues por Adam Beck

Adam Beck mora em Hiroshima, Japão. Ele imigrou para o Japão em 1996 e casou-se com uma japonesa. Seus filhos são bilingues: falam tanto inglês quanto japonês. Quando mudou-se para o Japão, Beck deu aula de inglês para crianças bilíngues por muitos anos na Hiroshima International School. Ao sair da escola, ele continuou tutoriando crianças bilíngues e, em setembro de 2012, lançou o blog Bilingual Monkeys, onde ele compartilha tudo o que aprendeu ao longo dos anos como professor e pai com o intuito de ajudar outros pais com crianças bilíngues. Beck também possui um fórum chamado The Bilingual Zoo e é autor do livro Maximize A Capacidade Bilingue do Seu Filho, disponível no Amazon. Abaixo estão suas 50 dicas para criar filhos bilíngues:

1. Comece cedo

Se você é proativo desde o início, você vai ter uma chance muito maior de nutrir um bom equilíbrio na habilidade bilíngue da criança. Desde o nascimento até a idade de 6 ou 7 anos é um período muito importante por duas razões: 1) os cérebros jovens estão mais preparados para a aquisição da linguagem, e 2) quando a criança começa a frequentar a escola na língua majoritária, torna-se mais difícil “reequilibrar” as duas línguas. Em outras palavras, investir tempo e energia mais cedo vai lhe ajudar a conquistar o equilíbrio que busca e, depois, manter esse equilíbrio durante a infância. Tentar “recuperar o tempo perdido” da língua minoritária é muito mais difícil. (Veja Aviso Aos Novos Pais Que Sonham Em Criar Uma Criança Bilíngue)

2. Dê prioridade

Tornar isso uma prioridade vai de mãos dadas com ser proativo. Se o desenvolvimento da língua minoritária da sua criança não for uma das maiores prioridades da sua família, é provável que a língua majoritária venha a ser dominante e a língua minoritária será relegada a um papel passivo. Não subestime o quão rápido isto acontece a partir do momento em que a criança começa a participar mais no mundo a sua volta e a passar a maior parte de suas horas imersa na linguagem da comunidade em geral. Torne a língua minoritária uma prioridade desde o início e você reforçará as chances de alcançar o sucesso a longo prazo. (Veja Em Qual Idioma Devo Falar Em Público Com Meu Filho Bilíngue? para opiniões do autor – e muitos comentários de outros – sobre o uso que os pais fazem da linguagem minoritária e da linguagem majoritária.)

3. Não o deixe ao acaso

“Não deixe a sorte e as circunstâncias determinarem o resultado. Você deve ativamente moldar a situação, de forma contínua, para que seu filho receba estímulos suficientes na língua minoritária para contrabalançar o peso da exposição proveniente da língua de sua comunidade. Alguns tomam uma atitude mais “laissez-faire”, dizendo que a língua minoritária pode ser pega mais tarde, quando o filho é mais velho. Isso pode ser verdade em alguns casos, mas há também o desejo natural de muitos pais de interagir com seus filhos em sua língua materna durante os anos da infância, bem como a necessidade de uma linguagem compartilhada para que as crianças possam se comunicar com outros membros da família.” (Veja Por Que Comunicar Em Inglês Com Meus Filhos É Tão Importante Para Mim para os pensamentos pessoais do autor sobre este ponto.)

4. Estabeleça uma meta

“Estabeleça uma meta clara para a habilidade do seu filho na língua minoritária. Você vai se contentar com fluência oral e se preocupar menos com a leitura e a escrita? Ou a alfabetização é importante para você também, e você gostaria de vê-lo ler e escrever ao nível de uma criança monolíngue? Seja qual for seu objetivo, articule-se e certifique-se de que seus esforços correspondem ao que você almeja. Boa capacidade de leitura e escrita são alcançáveis, mas esta meta exigirá um empenho diligente seu e de seu filho.”

5. Informe-se

“Ao informar-se mais sobre crianças e bilinguismo, você será mais capaz de promover o desenvolvimento da proficiência linguística do seu filho. Recorra a livros úteis, recursos on-line e a outros pais para ampliar seus conhecimentos e ideias. Procure associações sobre bilinguismo ou associações de pais em sua região para mais apoio e camaradagem.” (Junte-se ao autor e a outras pessoas ao redor do mundo no The Bilingual Zoo, um fórum animado e acolhedor para “guardiões” de crianças bilíngues.)

6. Escreva sobre isso

“Junto com a leitura sobre este assunto, quando você escreve sobre sua experiência criando filhos bilíngues (em um jornal, blog, fórum, etc), você naturalmente torna-se mais consciente, proativo e eficaz em seus esforços diários. Para fortalecer suas perspectivas e ações, e o progresso de seus filhos, o simples hábito de escrever regularmente sobre sua experiência pode ser profundamente forteleçador.” (Veja Faça Esta Simples Coisa E Garanto-lhe Maior Sucesso Em Sua Jornada Bilíngue.)

7. Ignore os críticos

“Algumas pessoas, mesmo aquelas que de outra forma são bem-educadas, podem alertar que seu filho vai ficar “confuso” ou sofrer outras dificuldades ao aprender duas línguas ao mesmo tempo. Não deixe que tais comentários o desanime. Escute o conselho dos outros sempre com uma pulga atrás da orelha. Não há um “padrão” quando se trata de famílias que criam crianças bilíngues. No meu caso, estou ansioso para ouvir sobre as experiências de sucesso dos outros – porque talvez eu possa adotar ou adaptar essas estratégias para minha própria família – mas só eu posso realmente decidir o que é apropriado para a minha situação particular.” (Veja Quando Você Sente Falta de Apoio das Pessoas ao Seu Redor Em Sua Jornada Bilíngue para mais conselhos.)

8. Mantenha as “condições essenciais” em mente

“As duas “condições essenciais” para promover com êxito a aquisição da linguagem e seu uso ativo são a exposição e a necessidade: a criança deve receber exposição suficiente à língua-alvo e sentir uma necessidade orgânica de usá-la. Se uma ou ambas as condições estiverem faltando, o resultado mais provável será a “habilidade passiva” nessa língua. Em outras palavras, a criança vai entender muito do que ouvir, mas se comunicará na linguagem majoritária. É claro que essa habilidade passiva pode ser ativada mais tarde, mas, novamente, o progresso exige a satisfação dessas duas “condições básicas”. Em suma, o bilinguismo está sempre ligado à exposição e à necessidade.” (Para muito mais sobre este conceito chave, veja O Que Fazer Quando Sua Criança Bilíngue Não Fala Sua Língua e Por Que Criar Uma Criança Bilíngue É Muito, Muito Simples – E Muito, Muito Difícil.)

9. Adote uma estratégia

“Como você vai usar as duas línguas dentro de sua família? Duas estratégias comuns são a abordagem “uma pessoa, uma língua” (onde cada um dos pais fala a sua língua materna) e a abordagem da “língua minoritária em casa” (onde ambos os pais utilizam a língua minoritária em casa e a língua majoritária é adquirida a partir de a comunidade). Seja qual for a estratégia que você escolher, o importante é ter certeza de que a criança tem uma necessidade natural de usar a língua minoritária e de que ela é suficientemente exposta ao idioma-alvo. A família deve, então, manter consistentemente a sua estratégia, a menos que uma mudança nas circunstâncias justifique uma mudança na abordagem.” (Veja Qual É A Melhor Estratégia De Idiomas Para Criar Crianças Bilíngues? para mais sobre esta questão central.)

10. Decida sobre a escola

“A estratégia de linguagem que você escolher adotar também pode depender das decisões escolares que você fez. Seu filho frequentará a escola no idioma majoritário ou na língua minoritária? A escola terá uma combinação dos dois? Ele estudará em casa? Independente do que decidir, olhe bem para a exposição da sua criança aos idiomas e procure manter um equilíbrio entre as duas línguas. Para a língua minoritária, uma boa meta seria cerca de 25 horas de exposição por semana. (Isso é aproximadamente 30% das horas em que a criança está acordada, dependendo da rotina. Quantidades menores que 20 horas por semana podem ser motivo de preocupação.) Por outro lado, se o seu filho frequenta a escola na língua minoritária, você pode precisar reforçar certos aspectos da linguagem majoritária – principalmente a leitura e a escrita – com apoio adicional.” (Veja Quantas Horas Por Semana Seu Filho Está Exposto Ao Idioma Minoritário? e Por Que Eu Não Quero Que Meus Filhos Se Dêem Bem na Escola.)

11. Aproveite cada dia

“O desenvolvimento bilíngue de uma criança é um processo a longo prazo mas só pode ser avançado pouco a pouco, dia a dia, através de hábitos e rotinas regulares. Assim, a ideia de “aproveitar cada dia” – agir dia após dia – está no cerne deste desafio. Esforce-se para estar consciente de seu objetivo e comprometa-se a fazer o seu melhor, a cada dia, para avançar alguns pequenos passos. Lembre-se de que na lingua majoritária, a criança continuará se desenvolvendo sempre, então você deve ser o mais consistente e que puder quando se trata de fornecer apoio à língua minoritária.” (Para inspiração, veja 8 Meditações Sobre O Tempo E A Arte de Criar Uma Criança Bilíngue e Um Amigo Meu Morreu.)

12. Pratique “medicina preventiva”

“Uma das chaves para minimizar as dificuldades na jornada bilíngue é a “medicina preventiva”. Em outras palavras, nosso objetivo é evitar que dificuldades maiores surjam, fazendo esforços efetivos de antemão. Por exemplo, ao ser proativo e proporcionar à criança uma forte exposição à língua minoritária durante os primeiros anos de formação, a capacidade ativa na linguagem pode ser promovida e o problema de ativar a capacidade passiva mais tarde é evitado. Pensando adiante, e tomando a ação apropriada, a jornada pode proceder de forma mais suave e com mais sucesso.” (Para mais sobre “medicina preventiva”, veja O Que Me Frustra Sobre A Criação De Crianças Bilíngues.)

13. Permaneça paciente

“O desenvolvimento da linguagem é um processo incremental ao longo do tempo. Isto é verdade, naturalmente, para o progresso de uma criança em qualquer idade, mas os primeiros anos – aguardando ansiosamente as primeiras palavras da criança – podem ser um teste especial de paciência, especialmente para os novos pais. Não é incomum para os novos pais se perguntarem se o filho vai começar a falar. Mas quando há exposição suficiente à linguagem e uma verdadeira necessidade de usá-la – e nenhuma outra preocupação de desenvolvimento está presente – a criança certamente vai falar quando for a hora certa. O mesmo é verdadeiro para o desenvolvimento da linguagem durante a infância: dada a exposição adequada e a necessidade, o progresso gradual é garantido.” (Para uma metáfora deste processo de aquisição precoce da linguagem, veja Pensamentos Importantes Sobre Bebês e Martelos.)

14. Divirta-se

“Não há como contornar o fato de que criar uma criança bilíngue é difícil para todos os envolvidos, por isso é importante tornar a experiência agradável sempre que puder. É um equilíbrio estranho, mas eu acho que é bom ser sério e brincalhão ao mesmo tempo: sério sobre o processo e brincalhão quando se trata de desenvolver esse processo. Metade disso é simplesmente atitude, mas a outra metade envolve a implementação de atividades (livros, histórias, enigmas, jogos, etc.) que podem alimentar o desenvolvimento da linguagem de uma maneira alegre. (Ver Ser Muito Sério, Ser Muito Brincalhão. A Jornada Bilingue Exige Ambos. e A Experiência do Pensamento: O Que Seus Filhos Se Lembrarão Mais de Você?)

15. Converse, converse, converse com seu filho

“Estudos mostram uma correlação positiva entre a quantidade de linguagem usada pelos pais  com os filhos durante os primeiros anos e a habilidade da criança na língua posteriormente. Em outras palavras, a quantidade de fala direcionada à criança pelos pais e cuidadores desde o nascimento até os 3 anos de idade tem um tremendo impacto no desenvolvimento da linguagem. (É claro que a qualidade dessa fala também é importante!) Embora eu não recomende falar demais nas orelhas de um bebê – as crianças também precisam de tempo de silêncio para que seus cérebros consolidem as novas descobertas de cada dia – aconselho os pais que falam a língua minoritária a serem proativos na interação com seus filhos.” (Veja A Coisa Mais Poderosa de Todas para Estimular o Desenvolvimento da Linguagem para mais informações sobre esta pesquisa e os pensamentos do autor sobre o assunto.)

16. Clone-se

“Quando seus filhos são pequenos e têm necessidade de exposição à língua minoritária, pode ser frustrante quando você, que serve como a principal fonte dessa exposição, é incapaz de passar tanto tempo quanto gostaria com eles devido ao trabalho ou outros fatores. Uma maneira de suprir essa falta de contribuição – e, novamente, se divertir no processo – é criar vídeos de si mesmo lendo livros ilustrados, contando histórias, cantando músicas e conversando com seus filhos. Eu fiz isso quando meus filhos eram mais jovens e pedi para minha esposa mostrar esses vídeos para eles todos os dias por cerca de 30 minutos. Os vídeos os cativaram (e os maravilhavam quando acontecia de eu estar no mesmo local!) e adicionaram muitas horas de exposição à linguagem alvo durante esses anos.” (Veja O Guia do Pai Ocupado para Clonar-se para todos os detalhes.)

17. Leia em voz alta todos os dias

“Ler em voz alta para o seu filho na língua minoritária, pelo menos 15 minutos por dia, é uma prática essencial quando se trata de nutrir uma boa capacidade bilíngue. Pode parecer muito simples, mas ler em voz alta regularmente tem um enorme impacto sobre o desenvolvimento da linguagem da criança, assim como no seu interesse em livros e na alfabetização. Se você não ler em voz alta, de preferência a partir do primeiro dia, e continuar pelo tempo que for possível, será muito mais difícil para seu filho desenvolver uma forte proficiência na língua minoritária.” (Para mais sobre este assunto importante, veja O Segredo de Criar uma Criança Bilíngue e Recursos Recomendados: Livros Bons para Ler em Voz Alta.)

18. Recorra a livros em capítulos

“Assim que seus filhos atingirem a idade e nível de linguagem adequados, eu recomendo a leitura em voz alta de livros mais longos, com capítulos e em séries. Isso é uma forma de torná-los “viciados” em leitura. Faça isso diariamente e rapidamente lançará um feitiço que estimulará seu apetite pela literatura. E, se ler regularmente pessoalmente é difícil, tente “clonar-se” em vídeo e o seu cônjuge tocar um capítulo ou dois por dia.” (Veja Como Fazer sua Criança Ficar Presa em Livros para uma lista de boas séries em inglês.)

19. Construa uma biblioteca em casa

“Você não pode ler em voz alta para o seu filho regularmente se você não tiver livros adequados na língua minoritária, incluindo livros “de capítulos” que vêm em série de 5 ou 15 ou até mesmo 25+ livros. Os custos podem aumentar, eu sei, mas no longo prazo, os livros são um investimento pequeno, quando o retorno final em boa capacidade de linguagem é muito grande. Corte em outras áreas do seu orçamento, se você deve, mas não economize quando se trata de colocar livros infantis em sua casa.” (Veja Quantos Livros Você Tem Em Sua Casa? para pesquisas que enfatizam a importância de uma boa biblioteca doméstica.)

20. Incentive “home run books”

“Home run books” são livros que as crianças não só gostam muito, mas com os quais eles também adquirem, mais profundamente, um amor para a leitura. Quanto mais destes livros você é capaz de trazer para sua casa, em todas as fases da infância, mais seus filhos provavelmente crescerão para se tornarem leitores ansiosos. E, ajudando seus filhos a encontrar livros favoritos e desenvolver paixão pela leitura, sua língua minoritária continuamente se beneficiará, agora e no futuro. (Veja O “Home Run Book”: Uma Ideia Chave Para Promover O Desenvolvimento da Língua de Uma Criança.)

21. Dê livros como presentes

“Ao manter como uma prática dar livros na língua minoritária como presentes para aniversários, Natal e outras ocasiões especiais – e encorajar a família e os amigos a fazer o mesmo por seus filhos – você vai alcançar três coisas importantes: 1) ajudar a promover o amor pelos livros e a literatura; 2) transmitir a ideia de que os livros são especiais e valorizados por entes queridos deles (até pelo Papai Noel); e 3) continuar aumentando a sua biblioteca doméstica, o que deve ser um esforço contínuo.”

22. Visite a biblioteca pública

“Isso naturalmente dependerá de sua localização e idioma alvo, mas talvez a biblioteca pública em sua área possua uma seleção de livros ilustrados que você possa pegar emprestado de graça – não dói investigar. Aqui, em Hiroshima, a biblioteca infantil possui uma coleção bastante grande de livros em inglês, chinês, coreano, francês, alemão e russo. Talvez sua biblioteca local tenha livros em línguas minoritárias também, ou ela estaria disposta a adquirir alguns.”

23. Use quadrinhos

“Uma das minhas “armas secretas” para promover a alfabetização na língua minoritária, com meus alunos e meus próprios filhos, é o uso de quadrinhos. Pesquisas mostram que os quadrinhos efetivamente ajudaram no desenvolvimento da alfabetização e no amor pela leitura para muitas, muitas pessoas (inclusive eu!), assim, também, promovendo a competência e confiança para então ler “livros reais”. E como as crianças bilíngues podem não querer ler na língua minoritária durante o tempo livro limitado delas, o poderoso apelo dos quadrinhos pode ajudar a motivá-los e avançar o seu desenvolvimento na alfabetização.” (Veja Como os Livros de Quadrinhos Podem dar aos seus Filhos Super Poderes Bilíngues e Recursos Recomendados: Livros de Quadrinhos Cativantes para Quem Está Aprendendo Inglês.)

24. Assine revistas

“As revistas infantis, se disponíveis no seu idioma alvo, são outro recurso útil que não deve ser negligenciado. As assinaturas de revistas coloridas e que chamam a atenção das crianças tem, geralmente, preços razoáveis, mesmo com a taxa adicional para envio internacional. Tivemos assinaturas de algumas revistas infantis ao longo dos anos, e meus filhos sempre ficam animados quando chega uma nova. Para ajudar a aumentar a exposição e o interesse à língua minoritária, eu recomendo um fluxo constante de revistas.” (Para mais informações sobre assinaturas de revistas e boas revistas infantis em inglês, veja Recursos Recomendados: A Magia das Assinaturas de Revistas.)

25. Comprometa-se com a “leitura cativa”

“Para incentivar o desenvolvimento da alfabetização e a prática de leitura na língua-alvo, você pode se aproveitar da estratégia que eu chamo de “leitura cativa”: a tendência natural de ler as palavras que caem sob o nosso olhar. Coloque cartazes do sistema de escrita e palavras comuns na parede; rotule coisas em casa; inclua notas na lancheira do seu filho; coloque um quadro pequeno no banheiro e escreva pequenas mensagens e enigmas; poste histórias curtas no banheiro, como, por exemplo, minhas versões de contos de fadas e fábulas bem conhecidos.” (Para uma visão completa desta estratégia altamente eficaz, veja O Que é a Leitura Cativa e Como ela Ajudará minha Criança Bilíngue? e Se Esta Não É Uma Parte da Sua Estratégia para Criar Crianças Bilíngues, Realmente Deveria Ser)

26. Escreva “histórias em série”

“Outra maneira de “leitura cativa” é fazer uso de “histórias em série”. Elas são particularmente divertidas e motivam as crianças que já possuem alguma capacidade de leitura na língua minoritária. No meu caso, eu escrevo uma página todos os dias mais ou menos (com um final de suspense) para um enredo que apresenta meus próprios filhos como personagens principais. Posso publicá-los, página por página, no interior da porta do banheiro. (As páginas mais antigas são transferidas para a parede.) As histórias, de aproximadamente dez partes, são muito “bobas” – basta simplesmente escrever o que aparece na minha cabeça – mas meus filhos acham engraçado e estão continuamente me pedindo para produzir a próxima parcela.” (Para instruções úteis e downloads, veja Transforme Seus Filhos em Leitores Assíduos com Essa Estratégia Divertida e Simples e Minha Maneira Favorita Para Fazer Minha Criança Bilíngue Ler Mais na Língua Minoritária.)

27. Use música de fundo

“Fazer uso da música na língua minoritária é uma maneira fácil e eficaz de adicionar consistentemente na exposição linguística que seu filho recebe. Isso não substitui o seu envolvimento ativo, obviamente, mas a música de fundo pode ser mais um componente para ajudar seus esforços gerais. Somente coloque um CD player e CDs adequados na sala de jogos principal da criança e toque música regularmente. Se suas crianças são como minhas, logo começarão a cantar!” (Veja Como o Poder da Música Aumenta a Habilidade Bilíngue para mais sobre essa ideia. E para a música infantil recomendada, em inglês, veja Recursos Recomendados: Ótimas Músicas para Crianças (E Para Pais Também!).)

28. Joguem juntos

“Jogos na língua minoritária – como jogos de tabuleiro, jogos de cartas, jogos de palavras e jogos de histórias – são outros recursos para se reunir em sua casa. As crianças adoram jogar e existem, sem dúvidas, bons jogos disponíveis em sua língua alvo que são divertidos de jogar e eficazes em promover a exposição do idioma.” (Você também pode considerar jogos publicados em outros idiomas pois estes podem ser jogados em qualquer idioma, desde que você conheça as regras!) Para uma casa mais harmoniosa, eu recomendaria equilibrar os “jogos competitivos” usuais (que podem deixar as crianças em lágrimas) com jogos cooperativos (onde os jogadores trabalham em equipe).

29. Enriqueça sua casa com exposição à língua

“Além de livros, músicas e jogos, torne a sua casa, o máximo que você puder, rica em exposição ao idioma minoritário. Ao mesmo tempo, tente inibir, o tanto que fizer sentido para sua família, a prevalência da influência da língua maioritária. Por exemplo, quando se trata de brinquedos eletrônicos e aplicativos, os recursos na língua minoritária provavelmente seriam uma escolha mais produtiva do que colocar no outro idioma. Do mesmo modo, é interessante enfatizar programas de TV e DVDs na língua minoritária.” (Para obter mais informações sobre a obtenção de recursos adequados, consulte Você Está Acidentalmente Atrasando Progresso Bilíngue Do Seu Filho? e Há Mais Recursos Em Sua Língua Minoritária Do Que Você Pensa.)

30. Alimente paixões naturais

“Faça um esforço para alimentar as paixões do seu filho através de recursos e oportunidades no idioma minoritário. Se o seu filho ama super-heróis, ou sua filha ama cavalos, procure livros adequados ou DVDs sobre esses assuntos na língua alvo. Desta forma, você vai nutrir suas paixões naturais e habilidades linguísticas ao mesmo tempo. Dependendo de onde você mora, você também pode ter acesso a oportunidades na língua minoritária – como aulas, clubes ou outras atividades – que combine os interesses especiais da criança.” (Para mais informações sobre este tópico, veja Alimente As Paixões e a Proficiência Na Língua Minoritária De Seu Filho e POW! Como Os Super-Heróis Fortaleceram A Habilidade Bilíngue De Meu Filho.)

31. Conte histórias

“Conte a seus filhos histórias verdadeiras de sua infância: as crianças gostam de ouvir sobre as aventuras de seus pais quando eram jovens. Você também pode inventar “memórias” fantásticas de seu passado ou dos primeiros anos de seus filhos. (Crianças gostam de contar “memórias inventadas”, também.) O ponto é: a narração de histórias – sejam reais ou ficções – pode ajudar a expandir e enriquecer as conversas que você tem com seus filhos, e são especialmente adequados para os momentos das refeições.” (Veja Contos Estranhos, Mas Verdadeiros: Pintinhos Na Banheira e Usando Memórias Inventadas Para Engajar Crianças Bilíngues.)

32. Faça uso do “mistério”

E se eu tocar sua porta sem aviso prévio e você me encontrar com uma grande caixa em meus braços? “É para você! “, Eu digo. Por um lado, você pode estar aterrorizado, mas você também não gostaria de saber o que está dentro? Os seres humanos, por natureza, são criaturas curiosas e a curiosidade das crianças pode ser usada como vantagem na promoção da língua minoritária. Seja sorrateiro e procure oportunidades onde o “mistério” pode ser usado como parte dos seus esforços: incentive o uso do idioma minoritário usando de “viagens misteriosas” e explorando o potencial de caixas, bolsas e envelopes. (Para mais detalhes, veja Uma Maneira De Fazer Com Que As Crianças Bilíngues Usem A Língua Minoritária e AVISO: Não, Sob Qualquer Circunstância, Leia Esta Publicação Do Blog Sobre Criação de Crianças Bilíngues.)

33. Aproveite as imagens

“As imagens estão ao nosso redor – fotos e ilustrações da Internet, livros, revistas, jornais, cartazes, outdoors, exposições de arte, etc. – e essas imagens podem ser conscientemente usadas para estimular a língua minoritária a cada dia. Faça um hábito regular de perguntar aos seus filhos essa pergunta simples e aberta ao se deparar com uma imagem interessante: o que você vê? Em seguida, acompanhe outras questões que, naturalmente, seguirão. Essas interações podem aumentar ao longo do tempo e contribuir de forma muito positiva para o desenvolvimento da linguagem.” (Para mais informações sobre este assunto, e muitos links divertidos para imagens on-line, veja Como As Imagens Estimularão O Desenvolvimento Bilíngue Do Seu Filho e Recursos Recomendados: O Extraordinário BoredPanda.com.)

34. Dê “dever de casa” escrito“

“Se promover uma boa capacidade de leitura e escrita na língua minoritária é importante para você, é melhor estabelecer um hábito de dever de casa cedo. Se você começar a dar pequenas doses diárias de dever de casa com a idade de 3 ou 4 – começando, por exemplo, com livros de exercícios simples ou outros livros de atividade leve – isso pode definir um padrão positivo para o resto de sua infância. Faça o dever de casa ser diário, como escovar os dentes – um hábito esperado – e pode ser mantido muito mais facilmente do que se você tentar impô-lo mais tarde. Tal como acontece com a literatura infantil, você deve fazer esforços para procurar materiais adequados em uma base regular. (Ver Segredos De Uma Rotina De Lição De Casa Bem Sucedida, Parte 1 e Segredos De Uma Rotina De Lição De Casa Bem Sucedida, Parte 2 para uma visão detalhada das atividades e recursos que uso em casa.)

35. Contate os avós

“Muitas famílias com crianças bilíngues vivem longe dos avós. No meu caso, tento compensar essa distância e fortalecer os laços entre meus filhos e meus pais destas três maneiras: 1) Compartilho fotos e videoclipes online para aproximar as duas gerações; 2) Organizo bate-papos de vídeo para que eles possam se comunicar uns com os outros; e 3) Facilito uma troca de cartas por correio. Esses esforços não só ajudam a nutrir o vínculo amoroso entre eles, mas também dão um impulso à habilidade linguística dos meus filhos.” (Para muito mais, veja 3 Boas Maneiras De Impulsionar A Capacidade De Linguagem da Criança Bilíngue e Vínculo Amoroso Com os Avós e Uma Mudança Poderosa Sobre O Uso do Skype Para Promover a Linguagem Minoritária).

36. Encontre um amigo de correspondência (“pen-pal”)

“Além dos avós, mantenha as relações com outras crianças. Nos últimos anos minha filha vem trocando cartas com uma garota nos Estados Unidos. Elas escrevem umas às outras (com um “empurrãozinho” dos pais) mais ou menos uma vez por mês e enviam presentes para aniversários e para os Natais. Esperamos que possamos manter essa conexão por algum tempo, mas mesmo que não, a experiência já beneficiou sua capacidade de escrita e sua compreensão do valor de sua habilidade linguística.” (Veja Seus Filhos Bilíngues Estão Escrevendo Cartas Na Língua Minoritária? para mais informações sobre nossa experiência e dicas úteis.)

37. Aprofunde o sentimento de valor

“Para aprofundar o sentimento de uma criança pelo valor de sua língua minoritária – afetando assim positivamente a sua atitude e motivação – uma forma é diretamente através de interações com outros falantes da língua. Localmente, você pode buscar datas para encontro com outras crianças, com familiares, amigos (pessoalmente ou através de bate-papo on-line), babás, au-pairs, e convidados que falam a língua alvo. Claro, um tempo no exterior poderia ser ideal, tanto para afirmar o valor da língua minoritária quanto para ganhar maior proficiência em geral.” (Ver Como Fazer Uma Criança Bilingue Sentir o Valor do Idioma Minoritário.)

38. Use o idioma para ajudar os outros

“Tão importante quanto aprofundar o sentimento da criança pelo valor de sua habilidade linguística através de interações com outros falantes da língua é criar oportunidades para a criança ajudar os outros usando sua habilidade linguística minoritária. Por exemplo, meus filhos e eu às vezes nos voluntariamos para ajudar pessoas que estão aprendendo a língua minoritária. Através dessas experiências, eles começaram a perceber que sua habilidade linguística não é apenas útil para eles, mas também para os outros, e isso é uma fonte de motivação ainda mais profunda e mais rica.” (Para a história completa, veja Uma Maneira Poderosa De Inspirar Uma Atitude Positiva Em Seu Filho Bilíngue e O Poder de Usar A Linguagem Minoritária Para Ajudar Outros.)

39. Viaje quando puder

“As viagens a lugares onde a língua minoritária é falada podem ser uma das formas mais poderosas de promover o desenvolvimento da linguagem e a compreensão cultural. Alguns pais relatam uma mudança profunda no progresso de seus filhos como resultado dessas experiências. Embora os custos e outras considerações possam impedir viagens frequentes, mesmo as viagens ocasionais podem ser um grande impulso para o seus esforços habituais.” (Para ideias e inspirações, veja a série de postagens de convidados intituladas “Viajantes bilíngües”: Primavera Na Hungria Traz Melhora na Habilidade Linguística; Navegação Suave para Língua e Cultura na Irlanda; Doce Exposição à Língua e Cultura na Alemanha; e Céu Azul e Sucesso Bilíngue na França.)

40. Use “brindes” e “lembretes”

“Há vários pontos de vista quando se trata de dar recompensas, mas descobri que um uso razoável de “brindes” forneceu um quadro eficaz para incentivar meus filhos a lerem livros e fazerem diariamente o dever de casa. No nosso caso, quando terminam de ler um livro, ganham um pequeno prêmio – algo que realmente os agrada. Meu filho, por exemplo, gosta de personagens de plástico Pokémon e esta pequena a recompensa aumentou seu entusiasmo pela leitura. Quanto à lição de casa diária, pode parecer engraçado, mas eles estão bastante satisfeitos com um pedaço de bala (sem açúcar) depois que suas tarefas estão completas. E o único “lembrete” que eu preciso dar (pelo menos até agora) é o de que eles não podem assistir a TV até todo o trabalho
estar terminado.” (Veja Por Que Eu Sou Como Um Vulcão Ressoante (e Por Que Você Deveria Ser, Também) para mais incentivos a manter as expectativas firmes.)

41. Faça uma “lista de tarefas”

“Para criar uma rotina para meus filhos e mantê-los nas tarefas, eu faço uma “lista de tarefas” (com espaço para marcar!) para eles acompanharem nos fins de semana e durante as pausas da escola. Sem esta lista, é muito mais fácil para nós “esquecermos” as tarefas para a rotina de lição de casa daquele dia e as outras tarefas que esperamos deles. Demora um pouco de tempo para escrever essas listas todas as manhãs (uma por criança), mas faz o dia muito mais produtivo e ajuda a minimizar a necessidade de lembrá-los continuamente sobre as coisas que gostaríamos que eles fizessem. As listas, escritas na língua minoritária, ainda fornecem alguns insumos para desenvolvimento de alfabetização! (E quando forem mais velhos, talvez eu tente mandar que eles escrevam as listas.)” (Veja Como Fazer Com Que Seus Filhos Façam Exatamente O Que Você Deseja.)

42. Seja criativo

“Nossa missão, essencialmente, é combinar nossos esforços com as necessidades em constante evolução de nossas circunstâncias. À medida que nossos filhos crescem, e nossas circunstâncias mudam, devemos responder a essas mudanças com novas soluções para que o desenvolvimento bilíngue de nossos filhos possa continuar seu curso forte e estável. Para satisfazer o desafio de forma eficaz a cada momento, o pensamento criativo é vital. Quanto mais amplas as nossas mentes podem imaginar e crie soluções de busca não convencionais, melhor, melhor seremos ao fornecer suporte contínuo.” (Para mais sobre este assunto – e uma história surpreendente de minha própria infância – veja Soluções Criativas Para Desafios Criando Crianças Bilíngues. Você também encontrará uma gama de formas criativas de promover o idioma minoritário na página Ideias Criativas.)

43. Cuidado com o “segundo estágio”

“Não é incomum para os pais serem surpreendidos e consternados pela evolução acentuada que ocorre no desenvolvimento bilíngue de seus filhos ao iniciar a escola na língua majoritária. Este aumento repentino da exposição ao idioma majoritário na “segunda estágio” – após os primeiros anos do “primeiro estágio” serem relativamente suaves e bem-sucedidos – pode produzir novos desafios na jornada bilíngue. Os pais podem precisar lidar com esta mudança nas circunstâncias e crescente dominância do idioma majoritário, encontrando formas de oferecer maior apoio à língua minoritária.” (Vejo Suas Crianças Bilíngues Vão Para A Escola no Idioma Majoritário? e Cuidado Com O Difícil “Segundo Estágio” do Desenvolvimento Bilingue.)

44. Sustente um espírito forte

“O desafio de criar uma criança bilíngue é uma maratona e, atingir o objetivo exige, a longo prazo, desejo, determinação, e toda a energia e resistência. E, como em uma corrida, conseguir ir do início ao fim envolve colocar um pé depois o outro, e fazer isso repetidas vezes. Apoiar o desenvolvimento linguístico a longo prazo de uma criança é um processo que só pode ser alcançado em pequenas e persistentes etapas, dia após dia. Quando o assunto é criar filhos bilíngues, não se engane: estratégias e técnicas adequadas são muito importantes para essa questão, no entanto são, em última instância, secundárias comparadas ao seu desejo, determinação, sua energia e resistência. Todas as boas idéias no mundo não serão o suficiente se não estiverem firmemente fundamentadas nessas qualidades subjacentes ao espírito.” (Para auxiliar o seu espírito e impulsionar o seu sucesso, adquira o meu eBook grátis Inspiração Instantânea Para Pais Criando Crianças Bilíngues.)

45. Evite arrependimentos

“Deixe de lado de uma vez qualquer arrependimento que possa ter sobre “oportunidades perdidas” no passado e comprometa-se a fazer esforços proativos, a partir de hoje, para apoiar o lado minoritário de seus filhos. Não importa quantos anos eles têm, ainda há muito que você pode fazer para ajudar em seu progresso e seu interesse no idioma alvo. A persistência diária é muito mais produtiva do que o pensamento ilusório. E se as suas crianças ainda são pequenas, você pode evitar o arrependimento inteiramente, fazendo um forte compromisso com seu objetivo estabelecido desde o início.” (Veja os 5 Principais Arrependimentos dos Pais que Tiveram Dificuldade em Criar Crianças Bilíngues.)

46. Persevere, não importa a circunstância

“Se criar uma criança bilíngue é realmente importante para você, você deve resolver as dificuldades à medida que surgem e saiba: você deve perseverar. Esta é uma jornada longa e difícil para todos nós – e para os pais com circunstâncias especialmente desafiadoras é muito difícil, mas a única maneira de alcançar o seu maior objetivo é continuar, passo a passo, dia após dia. Não só é vital manter seu objetivo em mente, você também deve estar atento ao fato de seu filho querer ser bilíngue também. Ah, ele pode não ter esse desejo conscientemente ainda, mas você pode apostar que quando ele for mais velho, ele ficará muito feliz por você não ter desistido. (Veja A Coisa Que Você Deve, Absolutamente, Positivamente Ter Para Criar Um Filho Bilíngue e Seu Filho Quer Ser Bilíngue!)

47. Dedique tempo e atenção

“Nossos filhos serão crianças apenas uma vez e, mesmo assim, por apenas um piscar de olhos. Quaisquer que sejam suas circunstâncias, faça tudo o que você puder para dar tempo e atenção aos seus filhos enquanto eles são pequenos. Não só eles precisam do suporte linguístico que você pode fornecer, eles precisam, acima de tudo, do seu amor. Nem sempre é fácil parar no meio de algo quando seu filho interrompe, ou responder a outra pergunta curiosa sem irritação, mas vale a pena fazer o esforço – a cada momento – para promover a capacidade bilíngue de seu filho e aprofundar o vínculo entre vocês como pai e filho. Lembre-se desta citação de Crystal DeLarm Clymer: “Quando seu filho estiver falando, desligue o mundo.”” (Veja Você Está Fazendo os Momentos Com Seu Filho Valerem a Pena? e Meu Filho Desaparece, Perco Minha Cabeça e o Mundo É Lindo.)

48. Descanse e recarregue

“O objetivo bilíngue exige a persistência diária, mas seus esforços são apenas tão eficazes quanto seu nível de energia. Portanto, certifique-se de que você também tome o tempo necessário para descansar e recarregar para manter uma boa saúde mental e física. Nosso bem-estar é vital não só para o nosso sucesso em criar crianças bilíngües, mas também para nossa felicidade pessoal!” (Veja Pais de Crianças Bilíngues, Tirem Tempo para Relaxar e Recarregar Sua Energia!)

49. Reconheça o bem maior

“Crianças com habilidade em mais de uma língua trazem benefícios não só para suas próprias vidas, mas para o mundo também. Porque as mentes bilíngues tendem a se inclinar para uma maior tolerância, crianças bilíngues podem, de fato, desempenhar um papel importante na construção de um mundo mais tolerante. Isso poderia muito bem ser o maior legado de nossa jornada bilíngue.” (Veja Por Que Criar Uma Criança Bilíngue Importa em Um Mundo Louco e Por Que Sua Criança Bilíngue Está Conectada, Profundamente, a Hiroshima e a Paz.)

50. Mantenha um diário

“Esta última dica não se relaciona estritamente ao desenvolvimento bilíngue, mas acho que vale a pena compartilhar. Se você não tem mantido um diário sobre seus filhos, você pode querer começar. É um pequeno investimento do seu tempo – basta fazer um breve texto em um caderno ou um arquivo de texto uma semana ou outra – mas para seus filhos, essas observações de seus marcos de linguagem, seus traços iniciais e interesses, e suas notáveis atividades e experiências serão, um dia, um olhar na infância muito especial que eles terão em grande parte esquecido.” (Veja Por Que Manter Um Diário De Seus Filhos É Tão Valioso.)

DICA BÔNUS: Assine meu boletim gratuito

Meu boletim semanal gratuito inclui links para meus artigos mais recentes, bem como conteúdo adicional não encontrados no meu blog. Enviados todos os domingos, o boletim oferece mais dicas e incentivos para ajudar você a aproveitar ao máximo sua semana quando se trata de nutrir a habilidade linguística de seus filhos. Como um treinador pessoal, vou verificar com você regularmente para ajudar a manter seu compromisso firmemente em mente e motiva-lo a continuar a tentando o seu melhor para o bem do futuro bilíngue de seus filhos. Clique para inscrever-se no meu boletim informativo.
Para saber mais, leia o livro Maximize A Capacidade Bilingue do Seu Filho
(Http://amzn.to/24kCeSY), e visite Bilingual Monkeys (http://bilingualmonkeys.com),
O Zoológico Bilíngue (http://bilingualzoo.com) e a página do Facebook
(Https://www.facebook.com/bilingualmonkeys).Fim do artigo. Deixe seu comentário abaixo.

***

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Born in Brazil, Ana Cristina moved to the United States in 1999. Following the birth of her first daughter in 2011, she realized how important it was that she pass on her native language and culture to her children. As a result, she decided to create her own line of books and founded ABC Multicultural (former Little Gringo) in 2013.

Social pressure: A reason why bilingual immigrant parents raise monolingual children

Social pressure is, in many cases, a reason why bilingual immigrant parents raise their children monolingual. The United States has the highest number of immigrants in the world. Yet, it is the country where the vast majority of children are still growing up monolingual – speaking English only.

Living in the United States for over 17 years, I’ve met many immigrants like myself, but also many American-born people with at least one immigrant parent. A lot of these people regret not learning their parents’ native language. Others, who have learned, are happy to have had this opportunity.

Unfortunately, many parents give up on speaking to their children in their own language because they feel a social responsibility to speak the majority language instead. These parents miss out on the opportunity to raise bilingual kids because they feel pressured to speak only in English by an American spouse, by the new American side of the family, by the pediatrician, by the teachers at daycare or school, by the other parents, by friends, etc. Social pressure hurts and we don’t want to feel hurt. Moreover, we don’t want our children to feel hurt.

Many times, when this kind of social pressure arrives in a multicultural family, the parents end up making the decision to stick with the majority language: ENGLISH. They think that by doing so, they will create a comfort zone for their children. So their children can “fit in” and grow up just like most American children: MONOLINGUAL. They can “feel the same” instead of “feeling different”.

If you are an immigrant in the United States, chances are that most of your family live abroad. Chances are that you have many friends here or back home that speak the same language as you do. So, the comfort zone you created to put your child in it and protect him or her against being “different” is not the zone you live in.

If that is the case, how fair and comfortable do you think it is for your child to grow up unable to communicate with your family abroad? How fair and comfortable it is for your child to grow up hearing mom or dad often speaking a language which he/she cannot understand?

Well, the reality is that bilingual children have some powerful health and well-being advantages that monolinguals don’t! That’s because speaking a second language improves cognitive skills such as problem-solving, multitasking and decision-making. Being bilingual also opens up infinite social and cultural opportunities. Have you heard about The Bilingual Advantage? Bilingualism is an amazing gift that immigrant parents should give to their children. Read this to learn why.

A child of a bilingual immigrant parent (or parents) who was not brought up to speak his or her heritage language will miss all the benefits that bilingualism can bring to life and, even worse than that, this child will lose a part of his or her identity. Our identities are formed by all the things we learn and experience. Our family, our friends, our relationships, the books we read, the places we travel to and, especially, the languages we speak. All these experiences and the feelings associated with them come together to make of us who we are.

It’s very hard to hear that you are making a mistake in the way you are raising your own children. I’m a mom, so I know that. But, think about all the advantages and benefits that a heritage language can bring to your kids… If you are a bilingual immigrant parent raising monolingual children, maybe it’s time to reconsider the reasons behind your choice. Your children deserve the gift of bilingualism.

End of artigo. Leave your comments below.

***

Books for babies and toddlers learning Portuguese. Click below to see more!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Born in Brazil, Ana Cristina moved to the United States in 1999. Following the birth of her first daughter in 2011, she realized how important it was that she pass on her native language and culture to her children. As a result, she decided to create her own line of books and founded ABC Multicultural (former Little Gringo) in 2013.

5 motivos para ensinar português como língua de herança

Se você está lendo este artigo, você provavelmente é uma mamãe ou papai que resolveu passar o português como herança para seus filhos nascidos no exterior. E, se for o caso, parabéns! Criar filhos bilíngues é uma decisão muito sábia.

Porém, vamos ser sinceros e um pouco politicamente incorretos: vale a pena mesmo passar adiante o português? Afinal, o inglês, o espanhol, o francês, ou até mesmo o mandarim não seriam idiomas mais importantes para o sucesso da sua prole? Você provavelmente já leu vários artigos explicando as vantagens do bilinguismo em geral, mas quais seriam os benefícios de ensinar especificamente a língua de Camões?

Se você alguma vez se perguntou uma das questões acima, continue lendo. Este texto é especialmente para as mamães e papais que se esforçam todos os dias para manter o português vivo na vida de seus filhos. Veja abaixo cinco motivos para lembrar por que vale a pena ensinar português como língua de herança:

1) Família:

O principal motivo para ensinar uma língua de herança, seja lá qual ela for, é para manter os laços da criança nascida no exterior com os parentes no país de origem da mãe ou do pai. Sem o aprendizado da língua de herança, a conexão com avós, tios e primos pode ser muito prejudicada. O relacionamento com a família é importante para a formação da identidade da criança, não importa onde ela decida morar no futuro ou quais línguas ela usará com mais frequência.

2) Cultura:

Uma língua é mais do que vocabulário e gramática. Língua é cultura. O conhecimento do português trará a seus filhos toda a rica cultura do Brasil e de Portugal, incluindo a literatura e a música. Se a música brasileira não for um bom motivo para aprender português, não sei qual seria! Muitos músicos estrangeiros estudam português só para poder aprofundar seus conhecimentos sobre nossa música.

3) Facilidade para aprender outras línguas:

Graças aos romanos, que conquistaram toda a Europa, falantes de línguas latinas como o português têm facilidade para aprender inúmeros outros idiomas. Sabendo português fica muito mais fácil aprender o espanhol, o italiano, ou o francês.

4) Ajuda na escola:

A maior parte das palavras acadêmicas em inglês, incluindo muitas “SAT words”, têm origem latina. O latim é também a língua das palavras científicas no mundo todo. Por conhecer o português, seu filho terá mais facilidade para entender as aulas de ciências e até mesmo as de literatura inglesa.

5) Muita gente fala português:

O português pode não ter o status do inglês ou do espanhol, mas é a sétima língua mais falada do mundo. Em 2012, havia 250 milhões de falantes de português no mundo. O português é uma língua realmente globalizada: há países com português como língua oficial em cinco continentes.

Fim do artigo. Deixe seu comentário abaixo.

***

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Silvia is a Brazilian journalist, teacher, and mom. She grew up in Canada as a bilingual child, speaking only Portuguese at home and English everywhere else. Throughout her adult life, she has lived, studied and worked in both Brazil and Canada. Silvia thinks that bilingualism has opened so many doors for her and she wants the same for her children.

5 Reasons Why It Rocks to Grow Up Bilingual

5 Reasons Why It Rocks to Grow Up Bilingual

Are you raising your kids bilingual? They will thank you in the future!

Here’s why:

1. Bilinguals are smarter.

Studies show that bilingualism improves the brain’s executive function, which is responsible for planning, solving problems, and performing other mentally demanding tasks. Compared to monolinguals, bilinguals are better at ignoring distractions in order to stay focused, switching attention from one thing to another, and remembering information. In other words, bilinguals’ need for knowing how to switch back and forth between languages makes them better multitaskers, a skill highly valued in the job market.

2. Bilinguals make more money.

A study from the University of Guelph, in Ontario, Canada, found that bilingual employees earn 21% more than their monolingual colleagues. This holds true even when the use of another language is not a job requirement. Researchers believe this is because employers see people who can speak more than one language as having other marketable skills, such as good language ability, perseverance, and quality education.

3. Bilinguals are more understanding.

Raising your children bilingual will improve their chances of having healthy relationships as well as their job prospects. Researchers have found that children who have been exposed to two or more languages are better at understanding other people’s perspectives. This makes them more understanding and better communicators.

4. Bilinguals age better.

The benefits of bilingualism extend all the way to old age. A study done by the University of California, San Diego, found that people with higher degrees of bilingualism had later onset of dementia and other symptoms of Alzheimer’s.

5. Bilinguals have richer relationships with foreign family.

There is nothing more gratifying than seeing children interacting with grandparents, aunties, and uncles from overseas while using a heritage language. Teaching your kids the language of their ancestors will strengthen family bonds and give them a stronger sense of identity. Languages open the door to endless cultural opportunities. While monolinguals tend to be steeped in one culture and worldview, bilinguals have access to the customs, cuisine, literature, music, and cinema of multiple cultures.

So, next time your kids complain about having to speak a minority language with you, remind them of the 5 reasons why it rocks to grow up bilingual!End of artigo. Leave your comments below.

***

Books for babies and toddlers learning Portuguese. Click below to see more!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Silvia is a Brazilian journalist, teacher, and mom. She grew up in Canada as a bilingual child, speaking only Portuguese at home and English everywhere else. Throughout her adult life, she has lived, studied and worked in both Brazil and Canada. Silvia thinks that bilingualism has opened so many doors for her and she wants the same for her children.

Português para filhos nascidos e criados fora do Brasil

filhos nascidos e criados fora do Brasil

Vivendo em um mundo tão globalizado e interligado o bilinguismo já não é uma opção e sim uma necessidade da atualidade. Porque não oferecer essa vantagem aos seus filhos desde o nascimento?!

Qual a importância em transmitir o idioma nativo dos pais para os filhos?

Existem muitos motivos para os pais incentivarem o bilinguismo em seus lares. O bilinguismo tem um impacto profundo e estrutural no desenvolvimento do cérebro infantil, especialmente na primeira infância. Esse impacto é muito positivo em geral:

  • Estudos mostram que o cérebro bilíngue tem mais facilidade na realização de tarefas simultâneas (conflituosas). 1*
  • Crianças multiculturais se beneficiam tanto socialmente quanto individualmente, por saberem se comunicar em mais de um idioma;
  • Psicologicamente, crianças que aprendem os idiomas nativos da mãe e do pai se sentem mais ligadas às suas origens.

A língua materna é a primeira língua aprendida pelo bebê e geralmente é aquela correspondente a cultura com a qual o indivíduo vai se identificar. (Um bilíngue simultâneo possui duas línguas maternas.)

Como ensinar o português para os filhos desde o nascimento?

Os bebês aprendem linguagem involuntariamente e por exposição. O cérebro humano é formado de uma tal forma que busca sentido e significado em tudo, ele é feito para a linguagem. Na verdade o bebê não aprende a linguagem ele é apreendido pela linguagem.

Se você mora no exterior e deseja criar seus filhos bilíngues, falar com eles em português desde o nascimento é a opção mais fácil para pais e filhos. Abaixo, algumas dicas de como alcançar este objetivo:

1) Mãe e pai devem conversar sobre esta decisão e definir um método de ensino que funcione para a situação familiar: a) Se a mãe é brasileira e o pai é de outra nacionalidade ou vice-versa, o melhor método é aquele no qual a mãe se comunica com a criança exclusivamente na língua nativa dela e o pai na língua nativa dele. Este método é conhecido como OPOL – One person, one language. b) Se a mãe e o pai são brasileiros, o melhor método é o de falar português em casa e o idioma do país onde vivem fora de casa. Este método é conhecido como MLAH – Minority Language At Home. Ambos métodos tendem a proporcionar uma exposição balanceada aos dois idiomas. Assim o bebê aprende as duas línguas simultaneamente.

2) Comunique aos familiares, amigos íntimos, pediatra e futuramente professores, sobre a sua decisão de criar seus filhos bilíngues e os informe sobre o seu método usado. Este comunicado é muito importante. Pode evitar situações desagradáveis e indesejadas quando os familiares te ouvirem falar em português com seu filho em público ou em reuniões de família. Dar esta informação para as pessoas que farão parte da sua vida e da vida do seu filho faz uma diferença imensa e te ajuda e se engajar na causa porque agora todos sabem dos seus objetivos. Quando as pessoas sabem e entendem o que você está fazendo, fica mais fácil conseguir o apoio e suporte delas. Com o apoio de todos, você se sentirá forte e certo da sua escolha. Além de criar uma situação onde você não vai se sentir rude por estar falando com seu filho(a) em outro idioma.

3) É importante que os pais se comuniquem com seus bebês e se relacionem com eles na língua que for mais natural para esses pais. Assim terão condições de oferecer aos filhos acesso irrestrito ao seu idioma e cultura. Caso português seja sua língua materna mas não a mais fluente, você pode trabalhar em melhorar a sua fluência em português e beneficiar, não apenas o cérebro do seu filho, como o seu também.

4) Exponha seus filhos ao português diariamente e consistentemente! Fale, cante, leia e se expresse em todos os sentidos em português para seus filhos desde o nascimento. Tente ao máximo não misturar os idiomas e seja consistente com o método de ensino escolhido. A exposição ao português e a consistência desta exposição são a chave para o sucesso em qualquer método.

Como fonoaudióloga as dúvidas que mais escuto a esse respeito são se o bilinguismo pode gerar atraso ou confusão na cabeça das crianças e a resposta é simples:

Os estudo mostram que o bilinguismo não justifica um atraso na fala, mas crianças bilíngues ou monolíngues podem ter atraso na fala devido a outros fatores.

Eu sou super adepta do bilinguismo e consigo ver todos os dias os benefícios dele; e também a luta que é manter uma língua de herança para filhos nascidos no exterior.

Como ensinar o português para os filhos em idade escolar?

Se o seu filho fala apenas o idioma do país onde ele nasceu e vive não se preocupe, ainda está em tempo dele aprender! Uma abordagem positiva no uso e incentivo do idioma é importante, assim como a consistência, e o contexto.

A criança que já está em idade escolar, ou seja, a partir da segunda infância, tem plenas condições de de aprender um outro idioma. No entanto, ela será um bilíngue sequencial e não um simultâneo. Sendo assim, a segunda língua não será posicionada como materna no cérebro.

Existem vários níveis de fluência nas línguas e o nível de fluência tem relação com: a necessidade do idioma, a exposição ao idioma, o uso propriamente dito do idioma, o status da língua na região em que o sujeito vive, e a relação que esse sujeito tem com esse idioma e cultura.

Abaixo vão algumas dicas de como inserir e incentivar a aprendizagem do português na idade escolar, ou segunda infância:

1) Descubra o que o seu filho gosta ou poderia gostar na cultura brasileira: Músicas, artistas, séries, livros, cordel, gibi, folclore, etc. podem te ajudar a saber por onde começar a conquistar a atenção e interesse do seu filho em aprender português.

2) Procure brasileiros perto de onde você mora e forme ou participe de grupos que possam trazer contextualização e enriquecimento social a essa aprendizagem. Afinal ninguém aprende uma nova língua para falar com as paredes ou com o espelho (risos).

3) Coloque seu filho(a) em situações onde seja necessário que ele tente falar e/ou entender o português para se comunicar. Por exemplo: uma babá que fale apenas português; uma visita prolongada de algum familiar querido que se comunique apenas português; férias no Brasil com a vovó, tios e primos; colônia de férias no Brasil com outras crianças. Estas são situações onde a criança tem um enorme estímulo para tentar se comunicar. Tais circunstâncias, reúnem questões afetivas e sociais, e são ricas em contextualização e intensidade.

4) Matricule seu filho em alguma escola de português ou arrange aulas particulares com professores ou tutores de português, nem que seja pelo Skype, por exemplo. Claro que, não adianta forçar seu filho a estudar português, esta opção só funciona se ele tiver interesse em aprender.

De toda a herança que deixaremos para nossos filhos poucas coisas trarão consigo tanta conexão e autoconhecimento quanto uma língua de herança.

Knowledge is power, but enthusiasm pulls the switch

Referências: 1* https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3322418/

Fim do artigo. Deixe seu comentário abaixo.

***

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

New
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Rated 5.00 out of 5
$8.99
New
Rated 5.00 out of 5
$14.99
Sale!

Portuguese

Alecrim Dourado

Rated 5.00 out of 5
$14.99 $9.99
Sale!

Portuguese

Sapo Cururú

Rated 4.75 out of 5
$14.99 $9.99

Juliana Trentini, mãe e fonoaudióloga, tem um canal no YouTube, Fala Fono, onde apresenta uma série de vídeos respondendo a dúvidas e dando dicas sobre o bilinguismo. Sua missão é ajudar pais e cuidadores a entender e potencializar o desenvolvimento dos filhos através da melhora na comunicação.