Português para filhos nascidos e criados fora do Brasil

filhos nascidos e criados fora do Brasil

Vivendo em um mundo tão globalizado e interligado o bilinguismo já não é uma opção e sim uma necessidade da atualidade. Porque não oferecer essa vantagem aos seus filhos desde o nascimento?!

Qual a importância em transmitir o idioma nativo dos pais para os filhos?

Existem muitos motivos para os pais incentivarem o bilinguismo em seus lares. O bilinguismo tem um impacto profundo e estrutural no desenvolvimento do cérebro infantil, especialmente na primeira infância. Esse impacto é muito positivo em geral:

  • Estudos mostram que o cérebro bilíngue tem mais facilidade na realização de tarefas simultâneas (conflituosas). 1*
  • Crianças multiculturais se beneficiam tanto socialmente quanto individualmente, por saberem se comunicar em mais de um idioma;
  • Psicologicamente, crianças que aprendem os idiomas nativos da mãe e do pai se sentem mais ligadas às suas origens.

A língua materna é a primeira língua aprendida pelo bebê e geralmente é aquela correspondente a cultura com a qual o indivíduo vai se identificar. (Um bilíngue simultâneo possui duas línguas maternas.)

Como ensinar o português para os filhos desde o nascimento?

Os bebês aprendem linguagem involuntariamente e por exposição. O cérebro humano é formado de uma tal forma que busca sentido e significado em tudo, ele é feito para a linguagem. Na verdade o bebê não aprende a linguagem ele é apreendido pela linguagem.

Se você mora no exterior e deseja criar seus filhos bilíngues, falar com eles em português desde o nascimento é a opção mais fácil para pais e filhos. Abaixo, algumas dicas de como alcançar este objetivo:

1) Mãe e pai devem conversar sobre esta decisão e definir um método de ensino que funcione para a situação familiar: a) Se a mãe é brasileira e o pai é de outra nacionalidade ou vice-versa, o melhor método é aquele no qual a mãe se comunica com a criança exclusivamente na língua nativa dela e o pai na língua nativa dele. Este método é conhecido como OPOL – One person, one language. b) Se a mãe e o pai são brasileiros, o melhor método é o de falar português em casa e o idioma do país onde vivem fora de casa. Este método é conhecido como MLAH – Minority Language At Home. Ambos métodos tendem a proporcionar uma exposição balanceada aos dois idiomas. Assim o bebê aprende as duas línguas simultaneamente.

2) Comunique aos familiares, amigos íntimos, pediatra e futuramente professores, sobre a sua decisão de criar seus filhos bilíngues e os informe sobre o seu método usado. Este comunicado é muito importante. Pode evitar situações desagradáveis e indesejadas quando os familiares te ouvirem falar em português com seu filho em público ou em reuniões de família. Dar esta informação para as pessoas que farão parte da sua vida e da vida do seu filho faz uma diferença imensa e te ajuda e se engajar na causa porque agora todos sabem dos seus objetivos. Quando as pessoas sabem e entendem o que você está fazendo, fica mais fácil conseguir o apoio e suporte delas. Com o apoio de todos, você se sentirá forte e certo da sua escolha. Além de criar uma situação onde você não vai se sentir rude por estar falando com seu filho(a) em outro idioma.

3) É importante que os pais se comuniquem com seus bebês e se relacionem com eles na língua que for mais natural para esses pais. Assim terão condições de oferecer aos filhos acesso irrestrito ao seu idioma e cultura. Caso português seja sua língua materna mas não a mais fluente, você pode trabalhar em melhorar a sua fluência em português e beneficiar, não apenas o cérebro do seu filho, como o seu também.

4) Exponha seus filhos ao português diariamente e consistentemente! Fale, cante, leia e se expresse em todos os sentidos em português para seus filhos desde o nascimento. Tente ao máximo não misturar os idiomas e seja consistente com o método de ensino escolhido. A exposição ao português e a consistência desta exposição são a chave para o sucesso em qualquer método.

Como fonoaudióloga as dúvidas que mais escuto a esse respeito são se o bilinguismo pode gerar atraso ou confusão na cabeça das crianças e a resposta é simples:

Os estudo mostram que o bilinguismo não justifica um atraso na fala, mas crianças bilíngues ou monolíngues podem ter atraso na fala devido a outros fatores.

Eu sou super adepta do bilinguismo e consigo ver todos os dias os benefícios dele; e também a luta que é manter uma língua de herança para filhos nascidos no exterior.

Como ensinar o português para os filhos em idade escolar?

Se o seu filho fala apenas o idioma do país onde ele nasceu e vive não se preocupe, ainda está em tempo dele aprender! Uma abordagem positiva no uso e incentivo do idioma é importante, assim como a consistência, e o contexto.

A criança que já está em idade escolar, ou seja, a partir da segunda infância, tem plenas condições de de aprender um outro idioma. No entanto, ela será um bilíngue sequencial e não um simultâneo. Sendo assim, a segunda língua não será posicionada como materna no cérebro.

Existem vários níveis de fluência nas línguas e o nível de fluência tem relação com: a necessidade do idioma, a exposição ao idioma, o uso propriamente dito do idioma, o status da língua na região em que o sujeito vive, e a relação que esse sujeito tem com esse idioma e cultura.

Abaixo vão algumas dicas de como inserir e incentivar a aprendizagem do português na idade escolar, ou segunda infância:

1) Descubra o que o seu filho gosta ou poderia gostar na cultura brasileira: Músicas, artistas, séries, livros, cordel, gibi, folclore, etc. podem te ajudar a saber por onde começar a conquistar a atenção e interesse do seu filho em aprender português.

2) Procure brasileiros perto de onde você mora e forme ou participe de grupos que possam trazer contextualização e enriquecimento social a essa aprendizagem. Afinal ninguém aprende uma nova língua para falar com as paredes ou com o espelho (risos).

3) Coloque seu filho(a) em situações onde seja necessário que ele tente falar e/ou entender o português para se comunicar. Por exemplo: uma babá que fale apenas português; uma visita prolongada de algum familiar querido que se comunique apenas português; férias no Brasil com a vovó, tios e primos; colônia de férias no Brasil com outras crianças. Estas são situações onde a criança tem um enorme estímulo para tentar se comunicar. Tais circunstâncias, reúnem questões afetivas e sociais, e são ricas em contextualização e intensidade.

4) Matricule seu filho em alguma escola de português ou arrange aulas particulares com professores ou tutores de português, nem que seja pelo Skype, por exemplo. Claro que, não adianta forçar seu filho a estudar português, esta opção só funciona se ele tiver interesse em aprender.

De toda a herança que deixaremos para nossos filhos poucas coisas trarão consigo tanta conexão e autoconhecimento quanto uma língua de herança.

Knowledge is power, but enthusiasm pulls the switch

Referências: 1* https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3322418/

— Fim do artigo —
Fale com o autor (em português ou inglês) com o Facebook Comments abaixo da propaganda —

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

Juliana Trentini, mãe e fonoaudióloga, tem um canal no YouTube, Fala Fono, onde apresenta uma série de vídeos respondendo a dúvidas e dando dicas sobre o bilinguismo. Sua missão é ajudar pais e cuidadores a entender e potencializar o desenvolvimento dos filhos através da melhora na comunicação.