5 dicas essenciais para que seus filhos (nascidos e criados no exterior) falem português fluentemente

Muitos brasileiros criando filhos no exterior se perguntam: O que fazer para que meus filhos falem português fluentemente? Pois eis aqui 5 dicas essenciais para mães e pais que querem que seus filhos se interessem, aprendam e falem o português:

1) Eduque-se sobre o bilinguismo

Estudos científicos realizados em grandes universidades americanas, canadenses e europeias, comprovam que o bilinguismo acelera o desenvolvimento do cérebro. Estes estudos mostram que crianças bilíngues tendem a ter um melhor desempenho do que as crianças monolíngues no que diz respeito a atenção e ao controle cognitivo.

Além disso, os filhos de brasileiros no exterior que falam português podem se comunicar com os avós, tios e primos que moram no Brasil. Eles também terão mais facilidade e interesse em aprender outras línguas. Quando adultos, terão melhores oportunidades de emprego, em vários campos de trabalho, e também em outros países.

Existem muitos livros e vários blogs mundo afora que se dedicam a informar mães e pais sobre a criação de filhos bilíngues. Basta perguntar ao Senhor Google no idioma da sua preferência e Ele te dará a resposta. Abaixo vai uma lista de blogs que considero muito informativos:

Multicultural Kid Blogs: multiculturalkidsblogs.com/

Bilingual Kidspot: bilingualkidspot.com/

Multilingual Parenting: multilingualparenting.com/

ABC Multicultural Blog: abcmulticultural.com/blog/

Os três primeiros da lista são blogs com posts em inglês apenas. O último é o blog da ABC Multicultural, e esse tem posts em inglês e português também, como esse post que você está lendo agora. Caso ainda não conheça, a ABC Multicultural é uma pequena editora americana que publica e vende livros infantis em idiomas estrangeiros, incluindo português. A editora é uma “startup” fundada por mim em 2013, dois anos depois do nascimento da minha primeira filha.

A empresa se concretizou pela minha necessidade de adquirir livros infantis em português. Livros de qualidade, que fossem feitos especialmente para crianças aprendendo o português como língua de herança ou segunda língua. Como não encontrei estes livros para comprar aqui nos Estados Unidos, comecei a criá-los para minhas filhas e todos os outros filhos de brasileiros aqui também. Recentemente, lançamos um projeto de parceria de publicação que trará novos livros e novos autores para a ABC Multicultural. Você já pensou em escrever livros infantis? Eu também nunca havia pensado a respeito até escrever o primeiro… e, depois, outros vieram. Agora, estou escrevendo mais três livros, além de estar trabalhando na criação e publicação dos livros de outros novos autores parceiros.

Bom, agora que já fiz minha propaganda, porque gostaria que você conhecesse um pouco mais sobre essa iniciativa, vamos continuar com as dicas… Essas dicas garantiram o sucesso (até o momento) com minhas duas filhas de quase 3 e quase 6 anos de idade (as fofurinhas acima comigo na foto desse post). Ambas são bilíngues e, portanto, fluentes em português e inglês. A segunda dica abaixo é quando tudo começa. Mas, se você já perdeu a oportunidade de começar por aí, comece agora mesmo! Porque, para tudo na vida: “Antes tarde do que nunca!”

2) Comece sua jornada durante a gravidez

É isto mesmo! O quanto mais cedo você introduzir um segundo ou terceiro idioma a uma criança, melhores resultados você obterá. Então, comece a falar com seu baby em português quando ele ainda estiver dentro da sua barriga. Depois que o baby nascer, solte os verbos, os adjetivos, os pronomes, os provérbios, os advérbios e tudo que tem direito! E, não pare mais… Cuide, ensine, repreenda, demonstre seu amor e carinho na sua língua nativa. Língua na qual você, provavelmente, terá habilidade de pronunciar e falar com maior perfeição.

É um erro achar que a criança deve primeiro aprender a língua do país onde vive para depois aprender outra língua. A fonoaudióloga brasileira e experiente em bilinguismo, Juliana Trentini, explica que:

Todas as capacidades necessárias para uma criança aprender uma língua, qualificam ela para aprender duas ou até mais línguas ao mesmo tempo.

Assista ao vídeo abaixo pra saber mais detalhes e ter respostas profissionais a perguntas comuns como: “Meu filho ficará confuso?” ou “Meu filho ficará atrasado na fala?”, entre outras…

3) Seja consistente em falar o português

Consistência é tudo! E depende muito mais dos pais do que dos filhos. Crianças se adaptam ao ambiente no qual estão sendo criadas. Tenha como um exemplo, uma criança nascida e criada nos Estados Unidos, filha de mãe brasileira e pai americano:

a) Se a mãe fala apenas português com a criança, ela associa o português à figura da mãe. Consequentemente, ela aprende a se comunicar com a mãe somente em português porque esta foi a única opção dada.

b) Se a mãe fala português e inglês com a criança, ela associa os dois idiomas à figura da mãe. Consequentemente, a criança escolhe responder e conversar com a mãe em inglês, língua de maior exposição e também a língua do pai.

A regra, nesse caso, em que a mãe é brasileira e o pai é americano, e vice-versa é simples: Se você quer que seus filhos falem português, você deve se acostumar a falar com eles somente em português. Exceções podem ser feitas? Sim, claro! Mas mantenha suas exceções ao mínimo possível.

4) Planeje o tempo de exposição à língua portuguesa

Quanto tempo por dia sua criança passa se comunicando em português? Esta é a pergunta que você deve se fazer caso sua criança insista em te responder apenas em inglês ou recuse a falar o português, apesar da sua insistência. Se este for o caso, não se culpe! O provável é que o seu filho ou filha não esteja tendo tempo suficiente de exposição à língua portuguesa.

Para que a criança desenvolva o interesse necessário para entender, aprender, praticar e falar um idioma, ela precisa ser exposta a este idioma com certa frequência e consistência. Esta exposição deve ser balanceada com a exposição à língua do país onde a criança mora. Caso contrário, ela vai dar preferência ao idioma nativo e demonstrar falta de interesse pelo português que, no caso, é o idioma nativo da mãe e a língua de herança da criança.

A solução aqui é planejar e fazer o que for possível e melhor para você e sua família. Se a mamãe brasileira tiver o privilégio de ser uma mãe tempo integral, isto é mais do que o suficiente para que sua criança obtenha um bom tempo de exposição à lingua portuguesa, supondo que, a mãe se comunique consistentemente em português com o filho ou filha. Se a mamãe trabalha fora de casa a maior parte do tempo (meu caso) é preciso aumentar esta exposição à língua portuguesa de outras formas, como: tendo uma babá brasileira, colocando o filho em uma escolinha ou creche brasileira, ou tendo a ajuda da vovó e outros familiares e amigos brasileiros, fazendo playdates com outras crianças brasileiras etc.

Além disto, é também preciso gerar incentivo e interesse na criança para que ela queira falar português. Minhas dicas neste sentido são: livros infantis em português, vídeos infantis em português, programas de TV educativos para crianças em português, muitos skypes com os parentes no Brasil e viagens ao Brasil sempre que possível.

5) Crie o hábito de falar em português com seus filhos

Toda criança nasce com a habilidade de aprender dois ou três idiomas ao mesmo tempo. Isto se aplica inclusive para crianças autistas. O fato da criança aprender ou não o idioma do país de origem dos pais, somente tem a ver com o verdadeiro querer e o nível de esclarecimento dos pais.

Quando você mora no exterior, muitas vezes, você se acostuma a falar outro idioma com mais frequência do que o seu próprio idioma. Então, é necessário desenvolver um condicionamento para que você se reacostume a falar na sua língua materna novamente e faça um compromisso pessoal.

Doze anos depois de me mudar para os Estados Unidos, minha primeira filha nasceu, e eu me vi nesta situação de “desacostume” com a minha própria língua. Naquela época, grande parte da minha vida e do meu dia a dia estavam envolvidos ao redor do inglês e não do português. Fui pra faculdade aqui, me casei com americano, no ambiente de trabalho todos falam inglês etc. Eu passava semanas sem falar sequer uma frase em português. Pensamentos e sonhos eram, quase sempre, somente em inglês.

Tive que criar o hábito de falar na minha língua materna novamente. Eu já me sentia mais confortável me comunicando em inglês do que em português, apesar do meu sotaque não negar a minha origem. O sotaque de estrangeira era algo que no início me incomodava, devo confessar, por causa da minha mania de perfeição. Mas hoje, aos meus 41 anos de idade, apenas o vejo como parte da minha identidade e da minha história. Jamais quero apagá-lo da minha existência. O meu sotaque é simplesmente parte de mim e parte de quem sou. Eu sou feliz de ser quem sou.

Este foi o meu maior segredo para o sucesso em criar crianças bilíngues: Criei o hábito de falar somente em português com minhas filhas e assim tem sido desde que nasceram. Abro exceções sim, mas poucas. Se o meu marido fosse também brasileiro, certamente falaria português em casa e inglês fora de casa, mas como o meu marido é americano, eu me restrinjo a falar apenas português com elas. Sei que, à medida que crescerem, será natural que desenvolvam a preferência pelo inglês. Por isto, continuarei falando com elas em português. Estou ciente de que isto depende mais do meu empenho de mãe do que do empenho delas – de filhas.

Nunca desista de passar a sua língua de origem ao seus filhos. Se você é brasileira(o), os seus filhos também são brasileiros, independentemente de onde nasceram ou moram. Não tire dos seus filhos o presente de poder falar o idioma do país o qual, também, os pertencem e fará, para sempre, parte da história deles. Não é uma questão de patriotismo, é uma questão de identidade. E, acima de tudo, é um ato de demonstração do seu conhecimento sobre os benefícios em criar filhos bilíngues.

— the end —

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

Born in Brazil, Ana Cristina moved to the United States in 1999. Following the birth of her first daughter in 2011, she realized how important it was that she pass on her native language and culture to her children. As a result, she decided to create her own line of books and founded ABC Multicultural (former Little Gringo) in 2013.