“Sou americana e brasileira também!”

“Sou americana e brasileira também!” Esta é a resposta que minha filha de 5 anos dá a qualquer um que questione sua nacionalidade. Soa estranho para alguns, mas é completamente normal para ela e para mim também.

Sou casada com um americano que não fala português. Moro com minha família em New Jersey, nos Estados Unidos, onde nossas filhas nasceram. Juliana (5 anos) e Marina (2 anos) são bilíngues. Elas falam português e inglês perfeitamente para a idade delas. Comigo, as tias, os avós brasileiros, e a babá, elas falam somente em português e raramente misturam os idiomas. Já com o pai, a família do pai, e outras crianças americanas, elas falam em inglês.

Escolhi criar minhas filhas bilíngues, desde o nascimento, por dois motivos:

1. O bilinguismo traz vantagens e benefícios para a vida toda.

  • Elas poderão (e já podem) se comunicar e se relacionar com mais pessoas, incluindo os familiares brasileiros.
  • Elas terão maior interesse e capacidade para aprender outros idiomas.
  • A fluência em português poderá ajudá-las entrar em boas faculdades aqui nos Estados Unidos, no Brasil, ou até mesmo em outros países.
  • Elas terão mais oportunidades de trabalho dentro e fora dos Estados Unidos.
  • Elas se adaptarão melhor a mudança de país, caso queiram ou precisem morar no Brasil ou em qualquer outro país onde se fala o português.
  • Elas serão capazes de ver e compreender o mundo com uma perspectiva diferente, mais aberta e mais inclusiva (o que já acontece).

2. O português é uma herança que, por direito, pertence as minhas filhas.

Quando recebi o passaporte brasileiro da Juliana no Consulado Brasileiro de Nova Iorque e li “Nacionalidade: Brasileira”, meus olhos se encheram de lágrimas. Ainda hoje, me emociono quando recordo a cena. Naquela época a Juliana, minha primeira filha, tinha apenas poucos meses de vida. Eu pensei:

Minha filha nasceu aqui nos Estados Unidos, ela é americana, mas ela é brasileira também! Por que eu sou brasileira, ela nasceu com o direito de ser brasileira. É meu dever como mãe ensinar a ela a língua portuguesa, para que ela possa não apenas conhecer, mas também compreender a cultura brasileira e os problemas sociais do Brasil. Desta forma, durante sua vida, ela poderá exercer este direito de cidadania brasileira que possui em todos os sentidos que desejar.

Se falhar no ensino do português às minhas filhas, estarei tirando um direito delas sem nem pedir permissão. Quero que minhas filhas cresçam orgulhosas de serem americanas e orgulhosas de serem brasileiras também! Pois esta é a identidade delas. Eu quero que elas saibam de onde vieram, para que durante suas vidas, seja mais simples e fácil escolherem para onde querem ir e qual rumo ou caminho desejam seguir.

O português como língua de herança e a oportunidade de criar filhos bilíngues

O Português é minha língua nativa, na qual sou orgulhosamente fluente, assim como sou fluente em inglês, minha segunda língua. Apesar de falar inglês todos os dias no trabalho, com o marido em casa, e com o mundo ao meu redor, não deixo que isso influencie minha comunicação em português com minhas filhas.

Falo apenas português com minhas filhas desde que nasceram, e é por isto que elas aprenderam a língua que lhes pertence como herança. Uma herança linguística e cultural. Uma herança que faz e sempre fará parte da nacionalidade e identidade de cada uma delas.

Muitas vezes somos nós, mamães ou papais, que por motivos diversos, perdemos a oportunidade de ensinar para os nossos filhos a nossa língua de origem quando eles ainda são pequenos e conseguem aprender com naturalidade, sem obstáculos. Bebês e crianças pequenas aprendem facilmente e naturalmente dois ou mais idiomas ao mesmo tempo. Eles intuitivamente aprendem a mudar de um idioma para o outro, dependendo da situação ou pessoa com a qual estão interagindo.

Quando se trata de aprender uma segunda língua, sabemos que o quanto mais cedo iniciarmos, melhor será o resultado. Porém, também acredito naquele velho ditado: “Antes tarde do que nunca!”

Se você é uma mamãe brasileira (como eu) vivendo fora do Brasil e quer que seus filhos cresçam bilíngues, tome uma decisão: Escolha falar apenas em português com seus filhos. Se eduque e se acostume a falar com seus filhos somente na língua nativa, assim como você fala com um parente no Brasil. Leia livros e assista desenhos e programas infantis em português para incentivar o desenvolvimento da língua e manter o bilinguismo dos seus filhos.

A exposição no dia-a-dia a diferentes línguas e culturas ensina as crianças a serem inclusivas e a tornarem-se adultos com uma compreensão maior às diferenças socioculturais em todo o mundo. Crescer bilíngue é um presente muito especial que posso dar às minhas filhas e que você pode dar aos seus filhos também.

— Fim do artigo —
Fale com o autor (em português ou inglês) com o Facebook Comments abaixo da propaganda —

Livros infantis em português para brasileirinhos nos EUA. Veja abaixo!

Born in Brazil, Ana Cristina moved to the United States in 1999. Following the birth of her first daughter in 2011, she realized how important it was that she pass on her native language and culture to her children. As a result, she decided to create her own line of books and founded ABC Multicultural (former Little Gringo) in 2013.